Conheça essas 5 Mulheres que venceram preconceitos - Pra Quem Tem Estilo

Post Top Ad

quinta-feira, 2 de maio de 2019

Conheça essas 5 Mulheres que venceram preconceitos


Histórias de superação são sempre ótimas fontes de inspiração para conhecermos a verdadeira força que temos. Coragem, determinação, foco e persistência são algumas das características da mulher moderna, que, muitas vezes, precisa de uma pequena injeção de ânimo para se fortalecer.
Na sociedade atual, é fácil acreditar que valores como a juventude, beleza e perfeição são fundamentais para ter sucesso.


A indústria da moda e da publicidade apostam maioritariamente em modelos jovens e magras, recorrem ao Photoshop para tornar a imagem perfeita e passam, muitas vezes, a mensagem de que este é o padrão de beleza a seguir. O que leva a que milhões de mulheres, em todo o mundo, se sintam inseguras e insatisfeitas com o seu corpo e imagem.
Pensando nisso, escolhemos a história de cinco mulheres que superaram as dificuldades e o preconceito em suas diversas formas e, assim como você, fizeram ou ainda fazem diferença no mundo. Conheça-as agora e inspire-se!

5 Mulheres que Venceram Preconceitos


1.Winnie Harlow, Modelo
Winnie Harlow tornou-se a primeira modelo do mundo, que sofre de uma doença dermatológica chamada vitiligo, que causa a perda gradativa da pigmentação da pele, criando manchas no corpo.
Tal como muitas crianças e adolescentes, esta canadiana foi vítima de bullying, tendo sido frequentemente apelidada de “zebra” e “vaca”, o que a levou a mudar diversas vezes de escola e a desistir do liceu.



Mulheres que Venceram Preconceitos


Mas foi depois de participar no concurso America’s Next Top Model, em 2014, que Winnie atraiu a atenção e conquistou o mundo da moda. E, desde então, já trabalhou para grandes marcas, como Desigual, Dior, Diesele Victoria’s Secret.
Hoje em dia, é um exemplo de inspiração e auto-aceitação, pois a sua beleza é vista como única e original. Para testemunhar a sua experiência, Winnie já participou em diversas palestas, como a TEDex Teen, sendo uma fonte de inspiração para muitas jovens.




2. Ashley Graham, Modelo Plus Size
Tornou-se famosa como modelo plus size, mas Ashley Graham desde cedo começou a tentar mudar os padrões e estereótipos de beleza, ao tornar-se modelo com apenas 13 anos. Porém, foi em 2016, que Ashley se tornou a primeira modelo, de tamanho 44, a figurar na capa da Sports Illustrated.

O que a levou a iniciar um movimento feminino para promover a auto-estima e assumir-se como porta-voz do body positivity, mostrando que a beleza pode ter várias formas e tamanhos. Aliás, em 2017, lançou o seu livro A New Model: What Confidence, Beauty, and Power Really Look Like, no qual a ativista encoraja outras mulheres a exibiram com orgulho as suas curvas.

Mulheres que Venceram Preconceitos


Modelo, designer e ativista, Ashley foi eleita “A Mulher do Ano” pela revista Glamour, tendo sido, ainda, considerada uma das “Pessoas mais Influentes do Mundo” pela revista Time. O que chamou a atenção da empresa Mattel que, em 2016, criou uma barbie plus size, inspirada na modelo.




3. Michelle Obama, Advogada e ex-Primeira 
Dama dos EUA
Quando Barack Obama foi eleito o primeiro presidente afro-americano dos Estados Unidos da América, em 2008, os media internacionais destacaram o casal mais mediático do ano: Barack e Michelle. O facto é que Michelle revelou ser uma primeira dama tão carismática e popular, que chegou a ser apontada como uma forte candidata à presidência norte-americana.
Mulheres que Venceram Preconceitos

Por isso, não é de admirar que Michelle Obama tenha sido considerada pela revista Essence como uma das “25 Mulheres mais Inspiradoras do Mundo” (2006) e sido capa da Vogue, em 2009. Aliás, o seu sentido de estilo também não escapou ao olhar da revista Vanity Fair , que a elegeu como uma das “10 Pessoas Mais Bem-Vestidas do Mundo”, em 2007.

Mas quem tem vindo a acompanhar a carreira da ex-Primeira Dama americana, sabe que a sua influência vai muito além da moda. Michelle estudou na Universidade de Princeton e licenciou-se em Direito na Harvard Law School.
Antes da presidência de Barack Obama, Michelle foi Diretora Executiva da Chicago office of Public Allies, uma organização sem fins lucrativos; foi Reitora Associada de Serviços Estudantis, da Universidade de Chicago, onde desenvolveu o Centro de Serviço Comunitário da Universidade; trabalhou nos Hospitais da Universidade de Chicago, como vice-presidente da Comunidade e Negócios Externos. E enquanto primeira dama foi porta-voz de causas sociais, relacionadas com a pobreza, a educação e a saúde.
Em 2018, Michelle voltou a ser notícia em todo o mundo, ao lançar o seu primeiro livro de memórias, Becoming, aos 54 anos, no United Center, em Chicago, um espaço com capacidade para mais de 23 mil pessoas. Neste evento, ela anunciou que iria dar início a um roteiro de conferências pelos EUA, em que dez por cento das receitas dos bilhetes seriam doadas a instituições de caridade, escolas e grupos comunitários.
 
4. Lyn Slater, Professora universitária e autora 
do blogue “Accidental Icon”
Começar um blogue depois dos 60 anos e este tornar-se um sucesso mundial prova que nunca é tarde para começar algo. A professora universitária Lyn Slater é, por isso, uma boa inspiração para todas as mulheres, sobretudo com mais de 50 anos.


Lyn exibe com orgulho os seus cabelos grisalhos e rugas, sendo um brilhante exemplo de como é preciso saber agarrar as oportunidades.
Mulheres que Venceram Preconceitos

Tudo começou, durante a New York Fashion Week, quando esta professora universitária de 63 anos estava à espera de um amigo, à porta do Lincoln Center, e os fotógrafos repararam nela. De repente, os turistas que assistiram a esta cena pensaram que Lyn devia ser uma personalidade famosa e começaram a tirar fotografias. Quando o amigo chegou ao seu encontro, os dois divertiram-se com esta situação e ele disse-lhe: “Meu Deus, tu és um ícone acidental!” e Lyn pensou que este seria um excelente nome para criar um blogue.

blogue Accidental Icon foi criado em 2014 e a sua página de Instagram já tem mais de 600 mil seguidores. A sua história é tão inspiradora, que chamou a atenção da imprensa internacional, em revistas como L’Officiel de Itália, Harper’s Bazaar do Brasil, InStyle da Alemanha, Marie Claire de Espanha ou Vogue do México.

E talvez a razão deste sucesso, seja o que motivou Lyn a criar a sua plataforma: “Eu comecei o Accidental Iconporque tinha dificuldade em encontrar um blogue de moda ou revista, que oferecesse uma estética urbana, moderna e intelectual, mas também dirigido a mulheres que vivem o que eu chamo de “vidas interessantes, mas comuns” nas cidades. Mulheres (como eu) que não são famosas, mas que são inteligentes, criativas, vanguardistas e, mais importante, sentem-se bem e estão confortáveis ​​com quem são.”
 
5. Iris Apfel, Ícone de Estilo e Modelo
Iris Apfel assinou, no início de 2019, o seu primeiro contrato com uma grande agência de modelos, a IMG, e o mais extraordinário é que o fez aos 97 anos de idade!
Sobre este novo marco da sua vida, Iris afirmou: “Não creio que um número devesse fazer alguma diferença, ou que nos fizesse parar de trabalhar. Acho que a reforma é um destino pior do que o da morte. Adoro trabalhar e adoro o meu trabalho.” O certo é que ela já trabalhou nos últimos anos para marcas, como Kate Spade, MAC, Alexis Bittar, HSN, Le Bon Marché, entre outras.
Mulheres que Venceram Preconceitos



Considerada um ícone de estilo, o Metropolitan Museum of Art de Nova Iorque apresentou uma exposição com peças do seu guarda-roupa Rara Avis: Selection from the Iris Barrel Apfel Collection, em 2005, e mais tarde lançou o livro “Rare Bird of Fashion: The Irreverent Iris Apfel”. O que catapultou esta “estrela geriátrica” para os media internacionais. Em 2014, o realizador Albert Maysles imortalizou-a no documentário “Iris” e, desde então, tem vindo a trabalhar como modelo para diversas marcas e campanhas internacionais.




Acompanhem-nos também no Facebook e Instagram

Aproveite e leia também:








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leia também: